PESQUISA

NC - Richard Strauss (1864 – 1949) - Serenata para instrumentos de sopro, em Mi bemol maior, Op. 7

Esta obra foi composta em meados de 1881, quando Strauss contava apenas 17 anos de idade, e ainda cursava o ensino médio. Embora seja uma obra de um período cuja maturidade do compositor ainda estava em formação, já é notável o seu imenso potencial. Nela, há claras influências de Mozart, Schumann, Mendelssohn e também Brahms, como é de se esperar de um jovem estudante de música que tem tais nomes como sua inspiração. Porém, há também fortes vestígios do que posteriormente viria a se tornar a linguagem madura de Strauss, onde traços marcantes de sua personalidade musical tardia já podem ser reconhecidos. A primeira apresentação dessa belíssima obra foi realizada pela Orquestra da Corte de Dresden, em 1882, e durante dois anos foi regida pela batuta do maestro de maior renome da época: Hans von Büllow (1830 – 1894), responsável pela estreia de obras como Tristão e Isolda de Richard Wagner. É uma obra muito atrativa, de apenas um movimento e composta para instrumentos de sopro, mais especificamente para pares de flautas, oboés e clarinetas, somados a quatro trompas e dois fagotes.

Dario Rodrigues Silva