PESQUISA

NC - Giacomo Puccini (1858 - 1924) - Tu che di gel sei cinta (Turandot), Donde lieta (La Bohème), Che tua Madre (Madama Butterfly) e Vissi d’Arte (Tosca)

Puccini foi um dos compositores mais expressivos da ópera italiana do século XIX e também forte representante do movimento verista. O verismo foi uma corrente literária italiana baseada nos princípios dos movimentos realista e positivista, que se iniciou por volta de 1870 e foi até meados de 1890. Os ideais dessa corrente influenciaram muitas outras áreas artísticas além da literatura, como a dramaturgia, artes plásticas e também a música. Assim, uma ópera verista é aquela cuja temática está voltada para os fatos reais do cotidiano, com especial atenção aos assuntos das classes baixas da sociedade. Com isso, a ópera ajudou na exposição desses temas ao levá-los para o palco, direcionando a visão da plateia para o drama humano e suas adversidades, ao contrário da ópera romântica que muitas vezes trazia temas ligados aos assuntos míticos, lendários e fantasiosos.

Uma das óperas mais executadas e conhecidas de Puccini é La Bohème – A Boêmia – estreada em 1896. A ária Donde lieta uscì – De onde saiu feliz – é apresentada no terceiro ato pela personagem Mimi, uma singela florista, e retrata a agonia do momento da separação de seu amado Rodolfo, por causa da tuberculose que aos poucos a consumia. É uma ária muito emotiva, cujo caráter é expresso logo na primeira frase: “De onde saiu feliz, para seu grito de amor, retorna sozinha Mimi ao solitário ninho”. A primeira ópera de Puccini a se relacionar diretamente com o ambiente verista – embora Lá Bohème já demonstrasse características dessa corrente – foi Tosca, estreada em 1900. Sua primeira apresentação pública causou grande impacto nos espectadores por representar de maneira tão intensa os fatos da vida real, incluindo a violência. A ária “Vissi d’arte” – Vivi para a arte – é cantada pela Tosca, figura central da ópera, durante o segundo ato, e trata-se de um desabafo da personagem, em que ela expõe sua frustração em relação às preces não correspondidas, ao suplicar: “... Por que, Senhor? Ah, por que me recompensas assim?”.

Outra ópera bastante conhecida e aclamada no repertório operístico de Puccini é Madame Butterfly, estreada em 1904. Conta a história de amor entre a gueixa Cio-Cio-San – a própria Madame Butterfly – e o tenente da marinha americana, Pinkerton. Na ária Che tua madre, Cio-Cio-San desabafa dizendo que prefere morrer ao invés de voltar à sua antiga vida de gueixa. Outra ópera em que a temática se passa em ambiente oriental é Turandot, a última de Puccini. Foi estreada em 1924, ano da morte do compositor, que inclusive a deixou inacabada, cabendo ao também compositor e pianista italiano Franco Alfano (1875 - 1954) completá-la. A ária Tu che di gel sei cinta – Tu que estás coberta de gelo – é sem dúvida umas das mais intensas e dramáticas do repertório operístico, a qual antecede o suicídio da personagem Liù, que na trama da ópera é uma escrava. Na cena dessa ária, Liù estava sendo torturada para que falasse o nome do príncipe por quem se apaixonou, o que era um segredo, e para não falar, ela se suicida com a adaga de um dos guardas que a torturava. Um aspecto muito marcante na música de Puccini é sua capacidade de criar uma atmosfera sonora bastante envolvente. Tanto em Madame Butterfly quanto em Turandot, o compositor usa elementos e sonoridades típicas da música japonesa para criar o ambiente das cenas, como, por exemplo, o uso das escalas pentatônicas ou ainda simulando o timbre de instrumentos tipicamente orientais através da orquestração.

Dario Rodrigues Silva