PESQUISA

NC - Richard Strauss (1864 - 1949) - Concerto para Oboé e Orquestra - Allegro moderato – Andante – Vivace - Allegro

O compositor e maestro alemão Richard Georg Strauss é um dos maiores nomes do período de transição entre a era romântica e a moderna. Autor de várias obras sinfônicas como “Assim falou Zarathustra” (1891), de óperas monumentais como “O Cavaleiro da Rosa” (1911) e “A Mulher Silenciosa” (1935), e de várias peças corais e camerísticas. Também se empenhou em produzir um significativo repertório para solistas, e um belo exemplar é o seu “Concerto para Oboé e Orquestra em Ré Maior”, datado de 1945, época em que as ideias modernas já fluíam com maior intensidade nas concepções musicais de Strauss. Embora a disposição dos movimentos desse concerto – Allegro moderato – Andante – Vivace-Allegro – estabeleça um forte vínculo com a tradição clássica, Strauss demonstra bastante ousadia na maneira como esses movimentos se interrelacionam, pois a passagem de um para o outro acontece com fluidez, sem interrupções. É como se o concerto fosse um único grande movimento, em que vários episódios – ou cenas musicais – que vão se desenvolvendo e se intercalando. Essa característica é consequência das experiências que o compositor obteve em seus poemas sinfônicos, em que a estrutura musical dependia de um programa, isto é, um enredo ou história que servia de base para a narrativa musical. São traços pertinentes que afastam Strauss de uma concepção clássica e o aproxima de uma flexibilidade formal típica do modernismo, aliada a uma sofisticada linguagem harmônica própria do compositor.

Dario Rodrigues Silva