PESQUISA

NC - Carl Maria von Weber (1786 – 1826) - Abertura da ópera Oberon

Carl Maria von Weber foi um dos compositores mais influentes do início da era romântica, sobretudo no campo operístico. Suas óperas Der Freischütz (1821) e Oberon (1826) serviram de molde para compositores ulteriores como Mendelssohn (1809 – 1847), Mayerbeer (1791 – 1864) e também Richard Wagner (1813 – 1883). Com Der Freischütz, Weber ficou conhecido como pioneiro da corrente nacionalista, devido à descrição de cenas e ambientes tipicamente germânicos presentes na obra, tanto quanto o libretto que também foi baseado em uma lenda alemã. Por outro lado temos Oberon que, em contrapartida, possui uma história proveniente de um conto medieval francês chamado Huon de Bordeaux, mostrando o interesse do compositor por outras culturas, o que era bastante inovador dado ao fato de que o nacionalismo, isto é, a predileção por assuntos especificamente germânicos, nesse caso, era muito estimulado pelos artistas da época.

A abertura da ópera Oberon recria um cenário fantástico, onírico, com algo mágico permeando as três notas tocadas pela trompa logo no início. No contexto da ópera, Huon, o herói que foi enviado para uma missão perigosa, utiliza uma trompa mágica para invocar a presença e a ajuda de Oberon, um Rei Elfo. Para tornar possível o ambiente élfico e mágico atrelado à figura de Oberon, Weber recorre a uma orquestração nebulosa, com tons cintilantes que tomam conta do nosso imaginário. Adiante, a orquestra entra de maneira mais impetuosa, fazendo menções às aventuras de Huon através de passagens mais impulsivas, enquanto que os momentos de amor entre o herói e a princesa Reiza são descritos através de melodias líricas e expressivas apresentadas pelas flautas e clarinetas. Novamente a trompa invoca a presença mágica de Oberon e a música retoma o clima mágico inicial. Várias outras citações se desenvolvem durante a abertura como se ela cumprisse o papel de uma sinopse da ópera, preparando-nos para o enredo que virá nos três atos a seguir, dando-nos momentos alternados de magia, dramaticidade, mistério e demais sentimentos que as cores reluzentes da orquestração de Weber são tão bem capazes de pintar em nossa imaginação.

Dario Rodrigues Silva